Notícias Cerimônia

23 de Junho de 2016 às 10:14h

Servidores carregam hoje Tocha Olímpica pelas ruas de Cuiabá

     Durante 100 dias, 12 mil pessoas de 300 cidades brasileiras carregarão, por cerca de 200 metros cada, a Tocha Olímpica dos Jogos Rio 2016. A emoção de levar a chama olímpica, a mesma acesa ainda na Grécia, será vivida por uma parcela de servidores do Governo do Estado de Mato Grosso. Assim que o símbolo das Olimpíadas deste ano desembarcar no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, logo mais às 10h, a Tocha Olímpica passará pelas mãos de trabalhadores estaduais.

 

     Entre eles está a professora da rede estadual de ensino Marisa Giraldelli, de 55 anos. Trabalhando desde 1979 na Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc), com Educação de Jovens e Adultos (EJA), Educação Especial e, mais recentemente, com Educação para Imigrante, a educadora se diz ansiosa para ter nas mãos o maior símbolo esportivo mundial. “Dois dos meus quatro filhos, que moram em outras cidades, virão só para me verem carregar a chama olímpica. É um misto de emoção e ansiedade”, explica a professora.

 

     A mesma ansiedade é sentida pela servidora da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), Aristela Yanuma Rocha Porofo Macedo, de 40 anos. Representando a etnia indígena Bakairi, a assessora de gabinete se diz feliz por ser uma das 136 pessoas de Mato Grosso que terão a chance de poder levar por alguns minutos o símbolo do evento mundial do esporte. “Tenho certeza de que será inesquecível. Convidei meus amigos e a minha família para esse momento único, no qual terei ainda a chance de representar o povo Bakairi, atual campeão mundial de cabo de força dos jogos indígenas”, comenta Aristela Yanuma

 

     O sargento do Corpo de Bombeiros Militar lotado em Cáceres, Dirlei Correia Medeiros, será mais um dos servidores estaduais a carregar a Tocha Olímpica em Mato Grosso. Protagonista de uma das histórias de salvamento mais marcantes entre os bombeiros do estado, ao resgatar mãe e filho que caíram em um poço, o ato de heroísmo do sargento o levou a ser um dos escolhidos para o revezamento da tocha. “Conduzir a chama olímpica é uma das grandes responsabilidades da minha vida. Além disso, represento todos os companheiros de farda”, narra o militar.

 

     Único secretário de Estado a participar do revezamento,o titular da Secretaria de Infraestrutura e Logística (Sinfra-MT), Marcelo Duarte, se voluntariou para carregar a chama e classifica a oportunidade como única em sua vida. “Carregar uma tocha olímpica traduz o que o mundo tem de melhor por meio do esporte. O espírito olímpico representa a união dos povos, garra, determinação, mas também solidariedade, respeito e esperança de um mundo melhor. Nesses 200 metros que conduzirei a chama, o farei com respeito e dedicação que esse fogo merece”, relata o secretário.

 

 

     Tocha Olímpica

     Das 300 cidades que participam do revezamento, Cuiabá está entre as 83 que terá uma celebração de encerramento. A Tocha percorrerá 33 km. Os trechos serão bloqueados para a passagem. A saída do aeroporto está prevista para 10h30. Além de Várzea Grande e Cuiabá, a chama passará ainda por Poconé, Chapada dos Guimarães e Nobres.

Fonte: Gcom-MT

Autor: Luciana Cury