O seu dia começa aqui

Professora de Sinop é uma das vítimas do acidente que deixou oito mortos na BR-163

Educadora da Língua Portuguesa retornava para Sinop com o filho de 11 anos. O menino também está entre os mortos.
Vítima do acidente - Reprodução Facebook

A professora Sidinei de Oliveira Cardoso, de 48 anos, da rede estadual de ensino, e o filho, Carlos André, de 11 anos, estão entre os oito mortos do acidente, nesta tarde (17), entre um ônibus e uma carreta na BR-163. A educadora retornava para Sinop após uma atividade sindical.

O SINTEP (Sindicato dos trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso) emitiu uma nota lamentando a perda da professora. Sidinei ensinava Língua Portuguesa na Escola Estadual Edeli Montovani.

Além da professora e o filho, outros 9 mortos devem ser identificados.

O acidente foi considerado por um agente da Polícia Rodoviária Federal como uma das piores tragédias da BR-163.

Arquivo pessoal

 

O acidente

Oito mortes foram confirmadas no acidente entre um ônibus e uma carreta na BR-163, no inicío desta tarde (17), próximo ao trevo de Vera, há 40 km de Sinop.  O resgate do Corpo de Bombeiros de Sinop e Sorrisos com apoio do helicóptero da Polícia Militar levou cerca de duas horas.

A carreta carregada com grãos colidiu frontalmente contra o ônibus com aproximandante 45 passageiros. O impacto arremessou as vítimas que estavam sem o cinto de segurança.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal,  três vítimas em estado grave foram socorridas de helicóptero até o estacionamento da Igreja Catedral em Sinop e foram levadas pelo Corpo de Bombeiros ao Hospital Regional. Em seguida, outra vítima foi levada para o Hospital Regional de Sorriso.

A PRF confirnou ainda a morte de 11 pessoas, no entanto, o Corpo de Bombeiros, em nota, informou 7 mortos. Não há confirmação de quantas pessoas ficaram feridas.

O prefeito de Sinop, Roberto Dorner decretou luto oficial de 3 dias. O governador Mauro Mendes também se manifestou com uma nota de pesar.

 

Local do acidente – Foto: Reprodução

 

 

Perícia preliminar

Uma perícia preliminar no local do acidente identificou marcas de frenagens do ônibus na pista contrária. Segundo o perito criminal, Leandro Valendorf, a investigação da causa do acidente aponta invasão de faixa.

Ainda de acordo com o perito, o motorista da carreta tentou manobrar para evitar o impacto frontal.  “A gente observa preliminarmente que existe uma reação do condutor da carreta de livrar a cabine. Os danos foram nos eixos traseiros da carreta, ou seja, não houve colisão frontal, isso sugere que o condutor conseguiu evitar um pouco, todavia, não conseguiu livrar o restante da carreta”. Pontou.

A Perícia Oficial e Identificação Técnica continua no local com a Polícia Rodoviária Federal. O tráfego continua interrompido e apenas carros de passeio passam pela lateral da rodovia.

Carreta tombada na pista – Foto: Reprodução

 

ERRATA

Nesta quarta-feira (18), a PRF revisou o número de mortes no acidente de 11 para oito. Segundo a PRF, houve um equívoco porque foi feita a contagem no local e somado ao dos hospitais.