O seu dia começa aqui

Influencer e atriz pornô em Mato Grosso recorre a Justiça para se filiar ao PT

Com 1,5 milhão de seguidores, Ester Caroline Pessatto, conhecida como Tigresa Vip, chegou a ter pré-candidatura a deputada estadual anunciada em evento na capital Cuiabá
Atriz pornô teve filiação ao Partido dos Trabalhadores do Mato Grosso suspensa — Foto: Reprodução Redes Sociais

Advogados da atriz pornô Ester Caroline Pessato, de 24 anos, ajuizaram ação, ontem (24) contra o Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores em Mato Grosso para garantir a filiação da mulher ao PT.

Conhecida como Tigresa Vip, Ester, que tem mais de 1,5 milhão de seguidores nas redes sociais, tem objetivo de disputar uma vaga de deputada estadual pelo partido.

A veículos de imprensa, líderes do partido, como o deputado estadual Valdir Barranco, alegaram irregularidades no processo de filiação de Ester. Ela teria se filiado no município de Barão de Melgaço sem autorização do diretório municipal.

Os advogados de Ester alegam que o processo de suspensão da cliente foi realizado sem transparência, direito ao contraditório e ampla defesa. Segundo eles, a atriz teve a filiação na sigla, feita pelo site do partido, confirmada no dia 2 de abril. No dia 14 do mesmo mês, a sua pré-candidatura foi anunciada em evento do PT, na capital Cuiabá.

Quatro dias depois, o Diretório Estadual através de uma votação realizada em um grupo de Whatsapp decidiu suspender a filiação de Ester. A mulher recorreu então da decisão ao Diretório Nacional do PT, que confirmou a suspensão no dia 13 de maio.

 

LEIA MAIS

A controvérsia no entorno da pré-candidatura de Ester Pessatto se arrasta desde meados de abril. Uma das polêmicas, citada na ação, envolveu um áudio atribuído à deputada federal Rosa Neide (PT-MT). Nele, Rosa Neide supostamente afirma ter visto um vídeo da atriz e alertado a presidenta do partido:

— Se é para fazer campanha política sendo chacota para o país, não estou disposta. Então já enviei para a presidenta (Gleise Hoffman) e espero que segunda-feira o deputado Valdir Barranco, nosso presidente, possa fazer uma reunião e discutir a questão antes que seja tarde demais — diz o áudio.

Procurada, Rosa Neide não negou a autoria do áudio. Em nota, ela afirmou que o PT é um partido dinâmico e plural.

— Quem articulou a minha saída, a minha expulsão, foi o deputado estadual Valdir Barranco com a deputada federal Rosa Neide — disse Ester, que cita o deputado estadual Lúdio Cabral como um dos que apoiou sua candidatura.