O seu dia começa aqui

‘Sinto que ele está ali’, diz estudante que personalizou ursinho de pelúcia com voz do pai morto em Sinop

A filha e o pai não moravam juntos e, após a morte dele, a estudante decidiu guardar os áudios na pelúcia para lidar com o luto.
Cristina e o pai em Sinop — Foto: Arquivo pessoal

 

A estudante Cristina Rey, de 17 anos, encontrou uma nova forma de relembrar o pai através de gravações. Ela decidiu colocá-las em um ursinho de pelúcia. Ele morreu após sofrer um infarto em outubro de 2021 e, desde então, ela encontra conforto, agora, com o ursinho.

A iniciativa veio de uma loja que oferece uma oficina de ursos de pelúcia, no qual os clientes escolhem qualquer tipo de áudio para ser colocado nos objetos. No caso de Cristina, ela preferiu resgatar as gravações e ligações do pai, uma vez que eles não moravam juntos e essa era a única forma de contato.

“Todos os dias quando eu pego o urso para escutar a voz dele, eu sinto que ele está presente ali. Quando eu escuto a voz do meu pai, alivia muito a saudade que eu sinto dele”, contou.

De acordo com ela, o pai havia ligado horas antes da morte e havia dito que retornaria a ligação. Porém, ao receber uma chamada do mesmo número dele, Cristina ouviu uma moça avisando sobre o óbito.

Para lidar com o luto, ela encontrou alívio com os áudios que ainda tinha guardado do pai.

Após uma viagem enquanto ele estava vivo, Cristina encontrou a loja onde fez um desses bichinhos para a irmã. Depois da morte do pai, ela resolveu criar o próprio ursinho.

“Personalizei o meu urso com as roupas mais parecidas com as que meu pai usava, até os óculos. Como não tinha uma bota semelhante, a atendente se sensibilizou com minha história e conseguiu uma como forma de agradecimento”, disse.

Urso criado por Cristina para relembrar da voz do pai — Foto: Arquivo pessoal

+BOMDIAMT

Conforme a dona da loja que vendeu o ursinho de pelúcia, a experiência para cada um segue uma espécie de ‘ritual’, no qual o cliente escolhe o urso, ou outros animais como dinossauro, cachorro, elefante, entre outros.

Depois vem a escolha do áudio ou gravação para ser colocada no bichinho de pelúcia.

Entre outras etapas, vem a parte de colocar o coração que, segundo ela, costuma ser a mais emocionante. Por fim, vem a seleção das roupas e itens, e uma certidão de nascimento também é gerada para finalizar o rito.

 

COM G1 MT