O seu dia começa aqui

UPA emite nota e diz que quadro de saúde de jovem grávida que morreu após alta médica era estável

Jovem recebeu alta médica após procurar unidade de saúde com dores de cabeça, mas morreu 24 horas depois. Família suspeita que morte foi em decorrência de dengue hemorrágica
Antônia Jainara - arquivo pessoal

O Instituto de Gestão de Políticas Públicas (IGPP), que administra a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e unidades de saúde em Sinop, emitiu nota, neste sábado (16), após reportagem da morte de Antônia Jainara Pereira, de 20 anos.  A jovem, grávida de 03 meses, morreu menos de 24 horas depois de receber alta médica.

De acordo com a nota do instituto, Antônia recebeu atendimento na Policlínica Menino Jesus com quadro de saúde estável. O médico plantonista orientou a paciente para coleta de exames.

Ainda conforme a nota, no dia seguinte, a paciente deu entrada na emergência da UPA, recebeu medicação e foi intubada.

Nesta manhã (16), por telefone, a cunhada relatou que a jovem procurou atendimento médico com dores de cabeça. Ela recebeu analgésicos e medicamento contra sintomas de enjoo, mas morreu no dia seguinte.

O sepultamento de Antônia será no Maranhão, onde reside a família.

 

 

 

Anúncio publicitário

Leia a nota do Instituto.

O Instituto de Gestão de Políticas Públicas (IGPP) informa que a paciente deu entrada na emergência da Unidade de Pronto Atendimento (UPA -24h), Anete Maria Mota Maria, com dores intensas, recebeu toda a medicação necessária e devido ao estado clínico houve necessidade de ser intubada, mas não resistiu e acabou falecendo na sexta-feira (15).

O IGPP esclarece ainda que a paciente recebeu um primeiro atendimento na Policlínica Menino Jesus. Ela foi avaliada pelo médico plantonista, medicada e como estava estável foi orientada a fazer coleta de exames para diagnóstico.

O Instituto reforça que a paciente recebeu todos os cuidados médicos necessários na unidade e externa pêsames pelo seu falecimento.